Você está aqui: Capa » Colunas » O poder da Palavra
O poder da Palavra

O poder da Palavra

 

O escritor aos Hebreus escreveu no capítulo 4 e versículo 12: “Porque a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.”

Não são os contos presentes em alguns púlpitos; não são os exemplos de experiências pessoais excêntricas nem qualquer outra maravilha do cristianismo do século XXI. A única coisa viva e eficaz, capaz de produzir os efeitos citados no versículo acima, é a Palavra de Deus.

No livro de Esdras, vemos a confecção de um púlpito. Lá, o propósito era que a Lei do Senhor ficasse acima dos demais, para leitura e explicação.

O Pr. Hernandes Dias Lopes, em seu comentário ao Livro de Neemias, citando o teólogo diz:Calvino entendia que o púlpito é o trono de onde Deus governa a Igreja” (p. 135)

No atual cenário evangélico, em muitos rincões já não se ouve a Palavra de Deus, mas sim o nome do Senhor mesclado a cânticos antropocêntricos e ditos bíblicas. Às vezes a leitura bíblica é o apito inicial em algumas pregações, dá início ao jogo, apenas isso.

A teologia doente que é maioria nas mídias hoje, é responsável por uma geração de adeptos ao cristianismo; não são verdadeiramente convertidos a Cristo, mas adeptos de um sistema que lhes interessa para satisfazer.

Palavras ditas, cantadas e pregadas que não sejam a Palavra de Deus, são mortas, não produzem o propósito divino, não aproximam o homem de Deus.

Só a Palavra de Deus, anunciada com sinceridade e fidelidade é que pode fazer viver os que morreram ou morrem, pois ela, a Sagrada Lei, é viva e eficaz, ou seja, passados milênios está operante no homem.

Ministros que não pregam a Palavra de Deus não podem reclamar de um rebanho doente, pois são os principais responsáveis (os dirigentes), da doença.

Em Atos dos apóstolos 4.29, em oração os apóstolos e os primeiros cristãos rogavam ao Senhor: “agora, Senhor, olha para as suas ameaças e concede aos teus servos que anunciem com toda a intrepidez a tua palavra.”

A preocupação dos cristãos era a anunciação da PALAVRA.

Ainda o Pr. Hernandes Lopes traduz um pouco da vida da Palavra: “Se não interpretamos o texto corretamente, vamos aplicá-lo distorcidamente. Vamos prometer o que Deus não está prometendo, corrigir quando Deus não está corrigindo. A exposição e a aplicação da Palavra produziram na vida do povo de Deus vários resultados gloriosos”.

Seja a uma multidão ou a uma centena; seja a um pequeno grupo ou a uma pessoa, como Filipe e o Eunuco etíope, necessário é expor tão somente a Palavra, pois fora dela não há nada que possa mostrar ao homem seu verdadeiro lugar, sua condição e o Deus amoroso e justo que todas as coisas domina.

Acesse também o blog:www.joaopaulo-mendes.blogspot.com

Este artigo foi visualizado: 2.422 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top