Você está aqui: Capa » Colunas » Pb. Donizetti » NÃO NOS DEIXES CAIR EM TENTAÇÃO

NÃO NOS DEIXES CAIR EM TENTAÇÃO

A verdadeira compreensão, a respeito da tentação, pode ser encontrada na carta de Tiago, que diz:

 

“Ninguém sendo tentado, diga: de Deus sou tentado; porque Deus não

 pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado,

 quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência”.

“Havendo a concupiscência concebido (período de gestação)

dá à luz o pecado e o pecado gera a morte”. Tiago 1:13-15.

 

Este texto apresenta-nos um processo completo desde o início até a efetivação de uma tentação.

Há um provérbio que diz: “Você não pode evitar que um pássaro pouse em sua cabeça, mas pode evitar que ele faça ninho”.

Cair, em tentação, é chegar à prática das sugestões mentais.

A pessoa não pode evitar o surgimento de pensamentos contrários à Deus e à sua palavra, mas todo o homem é capaz  de disciplinar sua mente, a ponto de poder reverter e mudar o curso dos seus pensamentos. Esta é uma atitude a ser tomada por todo aquele que crê em Cristo e em sua Palavra.

 

Há dois aspectos, na questão da tentação e sua origem:

 

PRIMEIRO:

Satanás, inimigo e opositor permanente, tenta levar o homem a transgredir a Lei de Deus. Esses ataques têm como alvo, as emoções, a mente e a vontade do homem, atraindo-o a praticar atos contrários à Palavra de Deus.

 

“Digo porém: andai em Espírito e  não cumprireis a concupiscência da carne.

Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne;

e estes opõem-se um ao outro, para que não façais

 o que quereis”. Gálatas 5:16-17.

 

“Sabemos que somos de Deus e que todo o

mundo está no maligno”. I João 5:19.

 

EXEMPLO: O caso de Davi e Betsabá. O rei foi primeiramente, atraído pelo olhar, depois desejou (emoções) então planejou (mente) e, finalmente executou a sua vontade. II Samuel 11 e 12:1-24.

Não devemos esquecer o final da história: a dificuldade do rei em reconhecer seu erro, a aceitação da repreensão feita pelo profeta e seu arrependimento. Salmos 51.

A Bíblia refere-se muitas vezes e em detalhes ao problema da tentação e do pecado. A importância que a Palavra de Deus dá a esse assunto, deve-se ao fato seguinte:

O servo de Deus, já está livre da raiz de sua natureza pecaminosa e

está capacitado a não pecar.

Isto significa que, o crente tem condições de conduzir sua vida:

•     Dizendo não, a tudo o que o afasta de Deus;

•     Evitando práticas que prejudiquem outros e a si mesmo;

•     Assumindo a responsabilidade de todos os seus atos;

•     Aprendendo a depender unicamente de Deus.

 

“Porque o pecado não terá domínio sobre vós”

Porque a lei do espírito de vida em Cristo Jesus , me

livrou da lei do pecado e da morte” Romanos 6:14 e 8:2.

 

SEGUNDO:

As provas acontecem, para o fortalecimento da fé. Tiago 1:2-3.

No caso das provas e tentações a que a todos os crentes são submetidos, há sempre a necessidade de se tomar uma decisão: submissão ou a quebra da Lei de Deus.

Ainda que muitas vezes as duas palavras sejam usadas como sendo semelhantes, existe uma diferença entre uma prova e uma tentação.

Uma provação independe da vontade; a tentação, só será levada a efeito com a escolha da pessoa. O crente pode tomar a decisão de não pecar, porque está equipado para tal.

O fortalecimento da nossa fé nos aperfeiçoará para sermos semelhantes a Ele.

“Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai

que está nos céus”. Mateus 5:48.

 

“Portanto, procurai com zelo os melhores dons;

e eu vos mostrarei um caminho

ainda mais excelente”. I Coríntios 12:31.

 

O trabalho do Espírito Santo em nós, tem a finalidade de nos levar, cada vez mais, para perto do Pai. Quando resistimos, a essa operação interior, Ele sofre.

 

“E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas;

porque não sabemos o que havemos de pedir como convém,

mas o mesmo Espírito intercede por nós com

gemidos inexprimíveis”. Romanos 8:26.

Deus sabe o limite de cada um e permite somente o que podemos suportar.

Quando entendemos os acontecimentos em nossa vida como meios que Deus usa para alcançarmos a perfeição encontramos a saída no “fim do túnel”, olhando para a luz que brilha adiante. Caminhamos seguros.

A luz é Jesus.

 

“Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus,

que vos não deixará tentar acima do que podeis, antes com

a tentação dará também o escape para que a

possais suportar”. I Coríntios 10:13.

 

A cada vitória alcançada, sobre as provas e tentações, estaremos mais fortalecidos na fé e compreendendo um pouco mais sobre os mistérios e segredos de Deus, sobre Sua grandeza e majestade, sobre Sua soberania no governo do mundo e no destino da humanidade. Podemos cantar:

 

“Foi só pela graça de Jesus que eu venci e cheguei aqui”.

Também se torna mais visível nossa fragilidade, limitação e impossibilidade de vivermos sem uma direção.

Então podemos dizer como João Batista e como Paulo ou como os mártires:

 

“É necessário que Ele cresça e que eu diminua”. João 3:30.

“Quando estou fraco então sou forte”. II Coríntios 12:10b.

 

“Os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas,

 fecharam as bocas dos leões, apagaram a força do fogo, escaparam do fio da

espada, da fraqueza tiraram forças,  na batalha se esforçaram…”.

 Hebreus 11:33-34.

Há um caminho longo a ser percorrido entre o conhecimento das doutrinas básicas do cristianismo e a vida abundante, a que todos os que crêem, têm livre acesso.

É o propósito do Pai, que todos os seus filhos estejam em condições de receber as suas promessas, livramentos, curas e libertações dos males do mundo.

O cristão está sujeito aos problemas e questões existenciais, comuns a todo o ser humano.

Entretanto, nós podemos ver tais problemas como experiências que vão sendo acumuladas, para o nosso aperfeiçoamento, fortalecimento da fé e conhecimento mais profundo de Deus como um Pai, que disciplina o filho para o seu próprio bem.

 

“A tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência,

a experiência a esperança e a esperança não traz confusão,

porque o amor de Deus está derramado em nossos corações

pelo Espírito Santo que nos foi dado” Romanos 5:3-5.

 

Jesus previne Pedro sobre a tentação que sofreria e lhe disse:

 

“eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça. E, tu, quando

te converteres, confirma teus irmãos”. Lucas 18:31-34.

 

Essa provação, na vida de Pedro serviu para a sua real conversão, conhecimento de Deus e amadurecimento como pessoa.

Comparar os arroubos de Pedro, quando na condição de discípulo, ver alguns fatos nos Evangelhos como:

•     Jesus repreende Satanás. Mateus 16:21-23;

•     Na transfiguração. Mateus 17:1-5;

•     Quando Jesus lhe diz que ele vai negá-lo. Mateus 26:33-35

Mais tarde, pode-se ver pelo livro de Atos, um Pedro diferente, transformado no Apóstolo Pedro, o homem cuja “sombra curava”. Suas reações, antes impulsivas, foram transformadas em atitudes espirituais.

Um Pedro não mais movido a emoções, mas um homem que aprendeu com as advertências recebidas. Um homem que não foi rebelde, mas submeteu-se ao Senhor.

Jesus, ainda hoje, investe naqueles que se submetem a Ele.

 

PRÁTICA:

•     Quem estiver passando por provações ou sofrendo tentações; deve examinar qual tem sido o seu pensamento:

•     Reconhece que sua fé está sendo provada e está aguardando o livramento de Deus?

•     Está desanimado? Acomodado? Revoltado?

•     Está triste? Sente-se abandonado até por Deus?

•     Pensa que a culpa é do outro?

•     Parece que você está sofrendo injustiça? Que todo o mal só acontece a você?

•     Você pensa que o ímpio blasfema e não recebe as conseqüências? Afinal, Deus é Justo?

•     Conduzir os que se identificam com a negação das provas, a fazerem declarações de confiança em Deus e a se despojarem dos pensamentos negativos.

Exemplo de declarações que devem ser feitas:

•     Deus é fiel e sua Justiça é eterna;

•     O nome de Jesus é: “Senhor, Justiça nossa”.

•     Deus tem tudo sob seu controle;

•     Deus não permite nada além das minhas forças;

•     Tudo contribui para o bem dos que amam a Deus;

•     Os impossíveis ao homem são possíveis a Deus;

•     Mais forte é o que está comigo do que o espírito que está no mundo;

•     Sou um vencedor por Cristo Jesus;

•     Quando estou fraco, então sou forte;

•     O sacrifício da Cruz, é a garantia da minha vitória;

•     A ressurreição de Cristo é a certeza de que o meu sofrimento é por um pouco de tempo.

Este artigo foi visualizado: 1.062 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top