Você está aqui: Capa » Colunas » Palavra Pastoral » Ira justa de Deus

Ira justa de Deus

A ira de Deus é sua santa repulsa pelo pecado. Deus sendo santo não se deleita no mal. Porque Deus é santo ele não pode deixar de punir o pecado. Seu próprio caráter justo e santo move sua ira contra os transgressores da sua lei.

Se Deus deixasse de mostrar sua ira contra o pecado, isso seria uma falha no seu caráter, porque a indiferença contra o pecado é uma falha moral. Se Deus não manifestasse sua justiça retributiva, ele negaria a si mesmo. Rm. 1.18-23 o apóstolo Paulo aborda três aspectos da ira de Deus.

1. Aira de Deus é justa por causa da forma injusta que o homem se relaciona com a verdade– Diz Paulo, o bandeirante do Cristianismo: “A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça” (Rm 1.18). Porque o homem abandonou a Deus (impiedade), chafurdou-se na imoralidade (perversão). A impiedade tem a ver com a teologia e a perversão com a ética. A teologia é mãe da ética. O abandono da teologia desemboca na corrupção da ética. O afastamento da verdade é um caminho largo e escorregadio que leva o homem para o abismo moral. Primeiro o homem se afasta de Deus, depois ele cai nas malhas da degradação. Primeiro, o pródigo sai da casa do Pai, depois ele vai para um país distante. E no país distante, ele acaba se dirigindo para o chiqueiro nauseabundo. A grande questão é: Por que o homem abandonou a Deus e se entregou à perversão? Porque rejeitou a verdade de Deus e a trocou pela injustiça. O homem não apenas deixou de acolher a verdade, mas a trocou pela injustiça. Ele não apenas trocou a verdade pela injustiça, mas transformou a própria verdade em injustiça. O homem chamou a luz de trevas e as trevas de luz!

2. Aira de Deus é justa porque o homem jamais peca inocentementeO apóstolo Paulo prossegue: “Porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das cousas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis” (Rm 1.19,20). O homem peca contra Deus e peca conscientemente, pois peca contra o conhecimento da revelação divina. A existência de Deus é provada de forma irrefutável pelas suas obras. As digitais de Deus podem ser vistas na obra da criação. Deus revelou-se de forma pública na criação, de forma íntima em nossa consciência, de forma explícita em sua Palavra e de forma visível na encarnação do Verbo. Embora a revelação natural não seja eficiente para a salvação é suficiente para responsabilizar o homem. Aqueles que negam a existência de Deus e vivem como se ele não existisse estão debaixo da sua santa ira, porque estão pecando contra Deus de forma consciente e deliberada. O abandono da verdade provoca a ira de Deus. A negação da verdade não é uma atitude neutra, ela acarreta juízo do céu.

3. Aira de Deus é justa porque o homem não oferece a Deus o culto que lhe é devidoO apóstolo Paulo conclui, dizendo: “Porquanto tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis” (Rm 1.21-23). A decadência vertiginosa do homem é notada no fato de ele abandonar a Deus e entregar-se à devassidão moral. Essa escolha não é inconsciente nem sem culpa, uma vez que todos têm luz divina suficiente, pela obra da criação. Agora, Paulo prossegue e diz que o homem além de rejeitar esse conhecimento, deixa de adorar e dar graças ao Deus criador para tornar-se um ser obtuso mentalmente e corrupto moralmente. Ostentando uma pretensa sabedoria, o homem se entrega a uma consumada loucura. Em vez de adorar a Deus na majestade da sua glória, o homem recalcitrante e rebelde acaba fazendo para si imagens de escultura à semelhança de homens, aves, animais e répteis, adorando a criatura em lugar do criador. Essa distorção do culto provoca a ira de Deus, pois a idolatria é uma abominação e aqueles que se entregam a essa prática não ficarão impunes, mas permanecem sob sua santa ira, a menos que se arrependam e se voltem para Deus em tempo oportuno.

Este artigo foi visualizado: 865 vezes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top